Reavaliação do Ativo Imobilizado Lei 11638

 

O Serviço do Ativo Imobilizado Lei 11.638/07 tem por objetivo atender a atualização da Lei 6404 – Leis das S/As e determinou que as demonstrações financeiras das empresas fossem adequadas às normas internacionais de contabilidade e relatório financeiros – IFRS. O objetivo da padronização é a uniformidade de regras e nomenclaturas das demonstrações financeiras de modo a permitir que balanços publicados em países diferentes possam ser comparados pelos investidores, fornecedores e acionistas.


Serviço de Reavaliação do Ativo Imobilizado Lei 11638

 

Os laudos de reavaliação bens patrimoniais (ativo imobilizado) com a finalidade de adequação à Lei 11638 e IFRS são realizados conforme as recomendações das NBR 14653 da ABNT- Associação Brasileira de Normas Técnicas, IBAPE – Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícia de Engenharia de São Paulo, INMETRO – Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial e Normas internacionalmente reconhecidas para fins de avaliação de ativo imobilizado – Internacional Valuation Satandard Council (IVSC).

 

Os Laudos de Avaliação são elaborados com a relação de bens inventariados e conciliados com os respectivos registros contábeis por componente, com a utilização dos mesmos critérios de abertura dos itens registrados na contabilidade, com descritivo da metodologia utilizada, premissas técnicas: manutenção das máquinas, instalação e formas de operação das máquinas, planejamento de substituição das máquinas, evolução tecnológica, base de cálculos, pesquisa no mercado, etc.

 

O processo completo e seguro de avaliação de bens do ativo imobilizado requer:

 

1- Inventário físico do imobilizado para levantar o que realmente existe com a perfeita identificação do bem: número do patrimônio, descrição detalhada, marca, modelo, número de série, fornecedor, condições de uso do bem. No processo de inventário do imobilizado, utilizar os mesmos critérios de aberturas dos registros contábeis, para que os componentes também sejam identificados e avaliados.


2- A massa de dados oriundos do inventário físico do imobilizado, devem ser conciliados com os registros contábeis, para validar as informações registradas no sistema de controle patrimonial.


3- Elaboração dos laudos de Avaliação dos bem, conforme finalidade do laudo: valor de mercado, valor líquido de venda (CPC 01), Valor residual final (CPC 27), Custo atribuído (Deemed Cost), Vida útil econômica, etc.


4- Registro dos efeitos dos laudos na contabilidade e no sistema de controle patrimonial.


5- No caso de avaliação Deemed Cost, determinar o valor do custo atribuído para todos os componentes na data da transição e recalcular a depreciação desde a data do balanço de abertura.


6- Informações financeiras com os valores atualizados do imobilizado e depreciação recalculados.